Categorias
Blogue Idade Digital

Eleições 2012 – Porque Oscar Filho influenciou no ritmo da política unaiense?


A indignação e repercussão nacional vem criando uma atmosfera de suspense em Unaí-MG, portanto, somente pessoas que vivem no cotidiano dos sujeitos envolvidos nesta história podem responder o que realmente aconteceu para que houvesse tamanha discussão na internet e nas ruas sobre o candidato a vereador de Unaí-MG, Zenadyo.
Oscar Filho, apresentador do CQC, disse em sua página no Portal Terra (oscarfilho.terra.com.br) que quando tirou a foto com um dos fãs “Mal sabia, […] uma das pessoas que estavam ali, é candidato a vereador na cidade. Seu nome é Zenadyo Inacio de Oliveira”. Veja que Oscar Filho negritou o nome do candidato e então, a partir daí, na continuação do texto, ele explica o acontecido em sua visão.
“Este candidato usou da minha boa fé em parar para tirar a foto e se aproveitar para reforçar a campanha dele colocando essa foto no Facebook com os seguintes dizeres abaixo:
É O CQC apoiando o 14 OSCAR FILHO ou PEQUENO PÔNEI- GENTE BOA…”
É importante lembrar que até o presente momento, o candidato a vereador Zenadyo era repercutido apenas por apropriar-se, sem autorização, da imagem do apresentador.
Oscar Filho continua em seu texto com uma denúncia esbravejante, “o que mais me impressionou nesta história toda, é que este cidadão é professor de geografia e anda usando a sala de aula para fazer campanha política. Ele escreve o número para que votem nele e pede aplausos por tudo isso ao final de tudo!”. Depois, Oscar Filho continua com suas acusações e alerta que ele “não apoia nenhum candidato”.
Em tempo, Oscar Filho indagou: “Talvez os alunos dele [Zenadyo] possam dizer quantas vezes ele já fez isso”.
O Idade Digital foi em busca de mais informações e entrevistou um dos alunos do professor Zenadyo que leciona a disciplina de Geografia no 2º Ano do Ensino Médio da Escola Estadual Delvito Alves da Silva em Unaí-MG, sala em que foi produzido o vídeo segundo alguns alunos que preferiram manter segredo de seus nomes. O Idade Digital entrevistou o aluno que preferiu não se identificar, mas deu esclarecimentos sobre as aulas e sobre o que aconteceu naquele dia em que o vídeo foi produzido. Veja abaixo o que o aluno nos disse:
ID: Como é o comportamento do professor Zenadyo em sala de aula?
Aluno: O professor Zenadyo sempre foi alguém muito alegre, disposto, feliz com as aulas, tinha as suas brincadeiras, era uma pessoa excepcional, sempre procurou explicar as atividades, mas o fato que prejudicava as suas aulas era a falta de controle da turma. A turma conversava demais e alguns alunos, sabendo de seu hobby publicado na internet, pedia para que ele cantasse em sala de aula, desagradando a alguns outros. Eu só quero lembrar que na outra sala em que ele dava aula, as aulas eram bem mais prejudicadas.
ID: O que levava a Zenadyo ser assim em sala de aula?
Aluno: Ele sempre dizia que “era um cantor que dava aulas”, se referindo ao seu principal hobby: cantar. Zenadyo sempre nos mostrou que o conteúdo de Geografia que nós estudávamos deveria ser trocado por disciplinas mais aplicáveis ao nosso cotidiano, mas ele sempre buscava entrar em assuntos mais profundos fora do nível do livro didático.
ID: Em relação a sua candidatura, Zenadyo se pronunciou antes, pediu voto em sala de aula ou falou algo do gênero antes do vídeo?
Aluno: Ele falou que seria candidato, mas somente pediu voto de forma indireta no dia em que foi feito o vídeo, no dia de sua despedida. Ele, dentro da disciplina, entrava em questões políticas, mas de forma geral, nunca mencionando seu próprio nome. Inclusive, no único debate que foi proposto por ele, com a duração de mais de 4 horas, interruptas, nós entramos em conflitos ideológicos por causa da política nacional e municipal.
ID: O apresentador do CQC, Oscar Filho, citou em sua página na web que ele “usou a sala de aula para pedir voto”. Você confirma isso?
Aluno: Eu quero deixar bem claro que o Zenadyo somente pediu voto no dia da despedida. Eu me adiantei e disse que queria ver primeiro as propostas dele para depois votar.
ID: Enfim, o que aconteceu no dia em que foi gravado esse vídeo?
Aluno: A princípio ele chegou na sala, corrigiu algumas atividades que estavam faltando para deixar a matéria “em dia”, depois de corrigido, faltando apenas 15 minutos para terminar a aula, ele iniciou um discurso emotivo de despedida, pois ele iria tirar licença para se candidatar à vereador na cidade de Unaí-MG. No momento em que o Zenadyo começou a falar, ele externou seu sentimento para com a turma e deu palavras de agradecimento, finalizado esse momento, ele mostrou o seu número escrito no quadro no lugar do ano 2012, o número 12000. Ele disse ainda “você não é obrigado a votar em ninguém porque o conhece, mas tem o poder de escolha, pode votar em quem quiser. Não precisa votar em seu pai, porque você é filho, nem no pastor da sua igreja, em ninguém, mas em quem tem as melhores propostas para você”. Logo depois disso, ele contou a história de sua vida em breves palavras, como se tornou professor, como adquiriu o interesse por Geografia e depois pediu uma salva de palmas para a sua história, não para o Zenadyo candidato, mas para o Zenadyo ser humano. Eu acho que o Oscar Filho se precipitou em falar palavras tão grosseiras sem conhecer o cotidiano dele [Zenadyo].
ID: Depois da repercussão nacional do nome de Zenadyo como um candidato de má fé, o que você pensa sobre a atual situação dele na sociedade?
Aluno: Eu não sei, mas o Zenadyo deve estar muito chateado, porque ele não merecia algumas palavras que pessoas proferiram, talvez, maquiado pela mídia, Zenadyo passou a ideia de que a nossa escola não é boa. Ele é um bom professor e, com certeza, a escola terá uma conversa com ele e voltará a dar aulas para a gente.
Portanto, o leitor pôde acompanhar uma entrevista com um dos sujeitos do assunto, um dos alunos do professor Zenadyo, contestando em alguns pontos, o que a mídia e até mesmo o apresentador Oscar Filho vem dizendo sobre a personalidade e atuação desse professor.


O Idade Digital foi em busca de mais informações sobre o professor Zenadyo e conseguiu, numa conversa informal com alguns alunos que se diziam prejudicados com a desfocagem do conteúdo lecionado por Zenadyo. O Idade Digital coletou algumas informações de alunos de salas diferentes que contestam a versão do aluno entrevistado ontem. Veja:
ID: O Zenadyo perdia o foco nas aulas. Isso é verdade?
Alunos:Sim, inclusive no debate ele saiu do assunto com 15 minutos de aula, apenas. Depois voltávamos a debater o assunto e ele puxava o foco para outras coisas. Inclusive, é possível lembrar a história do gato. O que me intriga é que tudo que ele fala fora de foco, ele conhece do assunto, embora não seja a hora apropriada.
ID: Como professor, qual a nota que você daria a ele?
Alunos:Nota quatro, enquanto outros, zero, três e seis.
ID: Vocês veem essa atitude do Zenadyo (de postar a foto junto do Oscar Filho) como inocente, impensada?
Alunos: Eu acho que ele não deve ter pensado na consequência que isso poderia ter para ele, portanto, pensando em impulsionar sua campanha, ele fez o post pensando em conquistar fama na política regional.
ID: O Zenadyo afirmou à imprensa que não foi ele quem escreveu o número no quadro. Como vocês veem isso?
Alunos: Como seria a gente, sendo que nós nem sabíamos o número da candidatura dele? Ninguém sabia, somente ele sabia.
ID: Vocês confirmam que não foram vocês que alteraram a data, nem outro aluno da sala?
Alunos: Foi ele quem escreveu. Por isso, até quando ele estava escrevendo eu perguntei e ele disse que iria explicar. Eu perguntei: porque 12000, não é 2012? Aí ele foi e começou falar da campanha dele lá.
ID: Em sua página na web, Oscar Filho postou abaixo do vídeo uma frase dizendo o seguinte “somente os alunos dele podem dizer quantas vezes ele fez isso”. Vocês, como alunos, podem dizer quantas vezes ele fez isso?
Alunos: Ele só falou do seu número no dia em que o vídeo foi feito, em sua despedida.
ID: Para finalizar, como foi vista a ação dele em publicar a foto na internet?
Alunos: Ele achou que ia ganhar com isso, mas acabou se prejudicando. Ele ainda colocou o nome do partido. Se ele tivesse esperado passar segunda-feira, e depois colocado a foto seria melhor.

Portanto, é visível que as versões são diferentes, mas concordam no mesmo ponto quando se fala no vídeo. Quando perguntamos quantas vezes ele falou sobre o número de candidatura, os alunos foram claros a dizer, nas duas versões, que ele só falou em sua despedida, no dia em que o vídeo foi gravado.
O Idade Digital procurou novamente a Escola Estadual Delvito Alves e foi respondido pela diretora, Maria de Fátima Soares Brito, que a escola já tomou as devidas providências junto a Superintendência Regional de Ensino e que as acusações feitas ao professor, em grande parte pelo acontecido em sua vida pessoal, já são discutidas sob uma forma de adequar as políticas de ensino. A escola disse que irá pedir justificativas cabíveis sobre a atuação de Zenadyo fora da escola, já que a imagem da escola, segundo a diretora, foi denegrida por um ato impensado de um dos integrantes do corpo docente da escola.
Bruno de Oliveira Rocha

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!