Categorias
Blogue Idade Digital

Furto na Escola Estadual Delvito Alves da Silva assola comunidade escolar

Nas primeiras horas desta quarta-feira (31), ocorreu um furto na Escola Estadual Delvito Alves da Silva, no bairro Divineia, em Unaí. Segundo a diretora da escola, Maria de Fátima Soares de Brito, os ladrões levaram apenas um notebook, mas deixaram a secretaria da escola totalmente revirada. Na foto acima, você observa o resultado da ação dos ladrões para furtar a escola.
A Polícia Militar, atendendo a uma solicitação da empresa de alarmes que faz a segurança da escola, a SEMELC, foi até o local juntamente com responsáveis pela área administrativa da escola, mas já era tarde demais. A partir desse momento, iniciou-se um trabalho de relato do que havia sumido, entretanto, constatou-se o furto de apenas um notebook no valor aproximado de R$2.000,00. Pouco depois de registrar a ocorrência do fato, a Polícia Militar acionou a Polícia Civil para fazer o trabalho de perícia do local em busca de evidências do criminoso, além disso há suspeitas levantadas pela polícia de deficiência no sistema de sensores do alarme e de que o criminoso pode conhecer bem a estrutura física da escola.
Essa não é a primeira vez que a escola sofre com furtos, neste ano, a escola teve as portas dos setores administrativos arrombados, mas não levaram nada de valor graças à ação rápida da Polícia Militar, da diretoria da escola e de vizinhos. A escola tomou, como ações preventivas, colocar grades em todas as portas dos setores administrativos da escola, mas isso não inibiu a ação dos ladrões nesta quarta-feira, assolando ainda mais a comunidade escolar.
O Idade Digital falou com a diretora da escola, Maria de Fátima. Veja:
ID: Qual foi o horário e como a escola ficou sabendo da ação dos ladrões?
Maria de Fátima: Foi às 00h18min, o alarme tocou pela primeira vez, mas como a SEMELC não tinha permissão para chamar a polícia no primeiro alarme, eles ficaram aguardando, no entanto, o alarme só voltou a tocar depois de várias horas, então, a SEMELC, a Ediléia [secretária da escola] e a polícia vieram até a escola e encontram a escola desse jeito, com tudo fora do lugar. A escola, na ação dos ladrões ficou toda aberta, eles puderam sair, voltar, pois o sensor do alarme não funcionou como devia.
Ainda segundo a diretora, o curioso foi porque os ladrões abriram o armário em que ficam projetores, câmeras, filmadoras, aparelhos de som, entre outros eletrônicos e não levaram nada além do notebook, “até mesmo a câmera da escola que estava bem à vista, não levaram, o alvo era o notebook” – ressaltou Maria de Fátima.
Furtos assim acabam por assolar a comunidade escolar e abrir uma discussão: é necessário o uso de câmeras nos setores administrativos das escolas? Com o monitoramento por câmeras, o autor de uma ação dessas poderia ser identificado em pouco tempo, dispensando até mesmo o trabalho da perícia criminal no uso de equipamentos caros e que consumem tempo.
Bruno de Oliveira Rocha

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!