Categorias
Blogue Idade Digital

Seca no noroeste de Minas Gerais: reservatórios vazios e praga de gafanhotos

Os problemas da seca que assolou o noroeste de Minas Gerais nesse final de 2012 e início de 2013 só começaram. Depois de uma preocupação com os reservatórios vazios nas hidrelétricas e uma possível crise energética, o inimigo é outro no município de Dom Bosco-MG, o problema são os gafanhotos.
Estudiosos e críticos veteranos da política nacional já afirmam que o Brasil está numa crise energética, o que fará com que o uso de energia altamente poluente, como termelétricas e nucleares, venham a funcionar para suprir a necessidade de energia. Atualmente, o Brasil conta com um sistema interligado que, por sua vez, não é promissor, muito pelo contrário, tem apresentado falhas na transmissão de energia causando impactos até mesmo na cidade de Unaí-MG, como ocorreu em 2012.
No entanto, os defeitos não são parte principal da crise, eis que o grande problema está no baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, o que faz com que a energia hidrelétrica seja insuficiente para abastecer o país e então, não restando outra alternativa, é preciso fornecer energia por um processo mais caro e poluente. Mesmo com a promessa de baixa na conta de energia anunciada por Dilma, a probabilidade é que a conta passe a ser mais cara pela instabilidade da energia proveniente de fontes limpas e baratas, como hidrelétricas e eólicas.
Há alguns dias atrás, o ID noticiou que o reservatório da Usina Hidrelétrica de Queimado está com níveis baixos. As chuvas, em pequena escala, que vieram ajudaram a contornar a situação, mas as usinas de cidades próximas no Goiás e Distrito Federal passam por problemas horrendos. Muitas estão com níveis que não aguentarão por muito tempo e a falta de chuva nesse período surpreendeu produtores e a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), mesmo com o aumento do nível dos reservatórios pela primeira vez nesse ano, noticiado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Praga em Dom Bosco-MG
O IDrecebeu o convite de alguns agricultores familiares para verificar uma praga que se instalou no início desse ano em várias fazendas da região do município de Dom Bosco-MG, há pouco mais de 100Km de Unaí-MG. Segundo uma agricultora “a praga veio no início do ano, quando a sequidão ficou intensa” – disse Iolanda.
O IDconstatou que vários gafanhotos se instalaram nas fazendas do município. Percorremos mais de 20Km na região e encontramos fazendas que tinham os gafanhotos literalmente comendo as folhas das plantações e das plantas do cerrado em geral. Todas as fazendas visitadas pelo ID tiveram algum vestígio da passagem de gafanhotos no local.
Numa fazenda de mais de 300 hectares, o produtor Bernardo disse estar preocupado com a situação e completou “todo ano que é ruim de chuva, como foi ano passado, tem essas pragas. Esse ano foram os gafanhotos que fizeram a festa”. O IDencontrou várias árvores onde o número de gafanhotos passava de centenas e em menos de um dia, a árvore já estava praticamente devorada pelos insetos.
Esses gafanhotos ainda estão no estágio de crescimento, não têm asas e com comida abundante e chuvas no período, a taxa de crescimento é alta e as produções podem ser largamente afetadas. Veja na imagem que encabeça essa matéria a nuvem de gafanhotos que se instalou em uma das dezenas de árvores visitadas pelo ID.
Bruno de Oliveira Rocha 

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!