Categorias
Blogue Idade Digital

Carretas: pesos-pesados em passeio pela cidade; flagrantes exclusivos

Enquanto a cidade está caminhando rumo a melhoria obrigatória do trânsito, muitas carretas ainda transitam pelas ruas da cidade levantando problemas para a infraestrutura de tráfego e limpeza. São milhares de toneladas ‘passeando’ por ruas projetadas para receber veículos pequenos, por isso, o resultado é o afundamento e sujeira das ruas e avenidas. Você conferirá várias fotos que obtemos com exclusividade constatando o tráfego desses veículos sem qualquer atividade de carga e descarga. Inédito!

O Idade Digital trouxe durante os três primeiros meses desse ano a série “Trânsito: é preciso mudar!”, que abordou os problemas do trânsito unaiense e os possíveis problemas que poderão surgir se nada for feito, além disso, foi observada também a necessidade de realização de um Projeto de Reestruturação do Trânsito unaiense. Contudo, há problemas que vieram com o desenvolvimento tão desejado e tão necessário à cidade. Atualmente, um problema que parece ser insanável é o trânsito de carretas e caminhões na cidade sem a finalidade de carga e descarga.
Unaí, polo do noroeste mineiro, é a maior produtora de grãos do estado e a 6ª maior no Brasil. O resultado dessa agricultura pujante é um tráfego intenso e o escoamento da produção também em mesmo ritmo. Para tanto, os produtores têm continuado a acreditar na possibilidade do início de uma obra prometida há anos, a Ferrovia Pirapora-Unaí com extensão até o Distrito Federal. Essa obra, caso seja viabilizada, poderá desafogar o tráfego intenso de caminhões nas vias de escoamento e assim diminuir os acidentes e aumentar a velocidade do trânsito.
Enquanto a obra não sai do papel, outras transformações para atender a grande produção unaiense e sua necessidade de escoamento como a duplicação da BR-251 estão ligados à ideia de que o potencial produtivo da região ainda pode ser mais explorado. Mais uma vez, o resultado da pujante agricultura é também resultado de falta de profissionais. Todos os dias, o SINE de Unaí oferece várias vagas para motoristas e não é só aqui em Unaí, em Mato Grosso, por exemplo, faltam motoristas e as cargas estão ficando paradas por falta de trabalhadores na área.
Por causa da falta de profissionais, é cada vez mais comum ver trabalhadores desempregados na cidade envolverem-se na área, gerando uma movimentação de capital na própria cidade. No tocante aos motoristas que moram na cidade, um fator faz com a cidade receba um tráfego elevado de caminhões durante os finais de semana: a falta de estacionamentos externos ou em postos de combustível. Temendo que algum dano possa ocorrer a seu veículo, o motorista ignora as restrições de tráfego nas ruas da cidade e insiste em transitar pelas ruas, muitas vezes com o veículo até carregado.
A falta de conscientização dos motoristas causa danos às residências, ao asfalto, à velocidade do trânsito e à estética da cidade. Conversamos com um carreteiro que mora no bairro Bela Vista e deixa sua carreta, mesmo que carregada, nos fins de semana, à frente da sua casa. Ele, que preferiu não se identificar, nos disse que o maior impedimento em deixar a carreta em outro lugar é o medo. “A gente não tem capital, eu, por exemplo, não tenho seguro da carreta, por isso, se alguém roubar ou danificar ela eu fico sem trabalhar e minha família não come. Infelizmente, nós temos que desrespeitar as restrições e não sou só eu, muitos colegas que trabalham na mesma empresa tem de fazer isso”, falou o carreteiro.
É importante lembrar que os caminhões e carretas que transitam na cidade na função de carga e/ou descarga são legalmente amparados pela legislação, no entanto, em função de outros anseios do motoristas, inclusive, passeio e meio de transporte para a família, pode ser até mesmo multado pela Polícia Militar de Meio Ambiente e Trânsito de Unaí, a qual está estabelecida na saída para Paracatu.

Abaixo-assinado
Foi criado um abaixo-assinado para restringir o tráfego de carretas e caminhões na cidade e pressionar o Poder Público municipal para focar seu olhar para esse assunto de tamanha importância para a gestão do tráfego. Confira abaixo a íntegra da petição pública informando os danos que o trânsito desses veículos causam à cidade:
Abaixo-assinado para restrição de tráfego de carretas, bitrens e caminhões caçamba nas ruas centrais de Unaí
Para: Prefeitura Municipal de Unaí – Polícia de Trânsito de Unaí
Abaixo-assinado destinado às autoridades do Município de Unaí, cuja finalidade é reivindicar a restrição imediata do tráfego de carretas, bitrens, caminhões caçamba e outros veículos de grande porte, na área central da cidade. Ruas como Paracatu, Roncador, Aldeia, Celina Lisboa, Cachoeira, José Luiz Adjuto se tornaram corredores de acesso à rodovia MG-188. As ruas Calixto Martins, São José, Alba Gonzaga, também são usadas como meio para acesso às ruas acima mencionadas e posteriormente à MG-188. Esse tráfego de caminhões e carretas no centro de Unaí não se justifica. É fato que a maioria desses caminhões são utilizados exclusivamente como meio de transporte para que seus respectivos condutores possam ir para suas casas. Para comprovar isso, basta dar uma volta nos bairros adjacentes ao centro de Unaí. É possível ver inúmeros bitrens e carretas estacionados em frente às casas dos seus respectivos condutores.
Alguns Motivos:
1 – Veículos pesados deterioram o asfalto causando prejuízos à população, pois o município acaba tendo que desembolsar recursos para recuperação do asfalto danificado
2 – O excesso de caminhões perto de instituições de ensino (Inesc, Carmo, Facisa) tem prejudicado alunos e professores
3 – O excesso de caminhões perto de hospitais (Santa Helena, Santa Mônica, Hospital Municipal) prejudica os enfermos
4 – Muitos caminhoneiros viajam de madrugada. Antes de pegarem a estrada, precisam esquentar o motor do caminhão. Isso às 3h da manhã. A vizinhança toda tem o sono prejudicado.
5 – Provocam rachaduras na estrutura das residências causando prejuízos à população
6 – Caminhões caçamba, de transporte de terra e entulhos, espalham poeira e sujeira nas ruas centrais, ajudando a deixar a cidade com um aspecto de mal cuidada, de descaso, de cidade sem lei.
7 – Prejudicam o fluir do tráfego de veículos de passeio
Sugestão: em cidades, inclusive menores que Unaí, o tráfego desse tipo de veículo é restrito, sendo permitido apenas para carga e descarga. Os caminhoneiros não usam os caminhões para se deslocarem até suas casas. Os caminhões são deixados principalmente em postos de combustíveis fora da área urbana. O serviço de Mototaxista em Unaí é bem funcional. Então, os caminhoneiros teriam esse meio para se deslocarem até suas residências sem dificuldades.
Os signatários
Uma solução?
A edição 32 do jornal Folha de Unaí, de circulação local, trouxe uma reportagem que revelou junto a um empresário de Unaí a construção de um Mega Posto com estacionamento para 200 carretas, bitrens ou outros veículos de rodagem pesada em Unaí. A realização desse empreendimento irá possibilitar aos motoristas estacionar o seu veículo carregado ou não e, só então, ir para sua casa dentro da cidade, seja na área central ou nas áreas periféricas, desobstruindo o trânsito e reduzindo os problemas causados às ruas e avenidas. Porém, a conscientização dos motoristas ainda é fator primordial para impedir o tráfego desses veículos na cidade.
Abaixo, alguns flagrantes enviados por um leitor a nós que pediu a sua não identificação. São imagens inéditas e exclusivas que constatam o trânsito de carretas pela cidade enquanto o trânsito da cidade possui restrições.

Bruno de Oliveira Rocha 

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!