Categorias
Factuais Política

PROJETO DE LEI POLÊMICO EMERGE EM MEIO A DISPUTA PRESIDENCIAL E ‘TUITAÇOS’ PROTAGONIZAM A CAMPANHA

É chegado o tempo de eleições e com ele vêm projetos de leis polêmicos que podem ganhar a adesão de um presidenciável e tornar sua bandeira de luta e, consequentemente, atrair um contingente eleitoral. Em 2014, o projeto de lei 5002/13 de autoria dos deputados federais Jean Willys (PSOL-RJ) e Erika Kokay (PT-DF) emergiu da representação LGBT na Câmara dos Deputados. As redes sociais inflam com notícias, muitas vezes factoides, sobre o tema provocando reações em cadeia, em apoio ou em repulsa ao projeto.

O projeto de lei trata de direitos, no mínimo, invasivos à liberdade individual submetendo ao consentimento duplo dos pais o direito, através do SUS, de “trocar o sexo” da criança, entre outras propostas menos incisivas, mas profundamente longes da atual realidade. A aprovação e sanção dessa lei provocaria um extenso processo de mudança no Estado brasileiro, bem como na estrutura familiar brasileira, visto que trata de ações como adoção, casamento entre pessoas do mesmo sexo, redução do direito de liberdade de expressão das autoridades eclesiásticas e coloca em foco outros direitos da comunidade LGBT.

A candidata do PSOL, Luciana Genro, é a única que defende a aprovação da Lei de forma integral. O candidato Eduardo Jorge, do PV, também é a favor da discussão do projeto de lei. Dilma Rousseff, Aécio Neves e Marina Silva se esquivam do tema com termos vagos e sem propostas efetivas. Seria o que chamamos de “cozinhar o galo” para não perder os votos dos conservadores, a maioria da população.

Sem dúvida, a comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT) está em busca de um representante na esfera do Executivo Nacional. A tentativa em 2010 foi com Dilma Rousseff, mas a legislação não recebeu alterações efetivas que legitimassem as reivindicações LGBT. Em 2014, o plano do Partido Socialista Brasileiro (PSB), que era sustentado pelo ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, e que após sua morte, passou a ser encabeçado pela candidata Marina Silva, foi o grande alvo das propostas LGBT. Horas depois do lançamento do plano, Marina desfez o compromisso do plano de governo e solicitou alterações alegando que havia existido erros na elaboração do mesmo.

Enquanto isso, os candidatos que preferem desconversar em relação a assuntos polêmicos como o aborto, o casamento gay e a liberação das drogas, cresceram sem, no entanto, mostrar propostas reais. A linha de extrema esquerda do PSOL ganhou a adesão de muitos, desde então, porque defende abertamente mais liberdade. É importante notar que a população LGBT no Brasil é estimada em cerca de 18 milhões de pessoas, ou seja, quase 9% da população.

A real situação dos direitos LGBT vai continuar sendo fator de discussões calorosas e polêmicas, onde muitos, de ambos os lados, faltam com o respeito. A mídia realça e tenta incluir em maioria de suas editorias a pauta, fazendo com que o assunto sempre esteja presente na cabeça dos brasileiros. Enquanto o debate por parte de cristãos muitas vezes não é ouvido na sua totalidade, muitas vezes os canais de comunicação violam os preceitos do Jornalismo de escutar os dois lados e sempre apontam um culpado.

Há alguns dias, um texto do ex-BBB e atual deputado Jean Willys criticando o fundamentalismo do pastor e culpando os evangélicos fundamentalistas pela “homofobia que mata” fez levantar a fúria do Pr. Silas Malafaia através do Twitter. Neste âmbito, o PT vem sofrendo “tuitaços” constantes puxados pelo Pastor Silas Malafaia. As respostas dos tuitaços vêm, mas parecem não ter contido o fogo de Malafaia contra o PT. Revistas do Grupo Abril tem destinado semanalmente notícias acerca do envolvimento político do Pastor, que defende o voto “Fora PT”, ou seja, que qualquer outro candidato possa ter os votos da população evangélica menos a presidente Dilma Rousseff.


Se você deseja acompanhar a tramitação do processo e conhecê-lo melhor, acesse os links abaixo:

O projeto de lei – http://goo.gl/Eq6H66

Tramitação – http://goo.gl/CXmo1N

Para saber mais sobre a polêmica que envolve o deputado Jean Willys, o Pastor Silas Malafaia e o Partido dos Trabalhadores, acesse os links abaixo:

http://goo.gl/1K54G8 – Repulsa à correção do Plano de Governo de Marina
http://goo.gl/Og9hvl – O primeiro embate de tuítes
http://goo.gl/sW2Se8 – Vídeo de Malafaia que expressa o voto “Fora PT”
http://goo.gl/FzfPjm – Vídeo de Malafaia sobre a sua repulsa ao PT

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!