Categorias
Espiritualidade

Cultive tudo e crescerá o melhor

Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus. Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. Tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim, ponham-no em prática. E o Deus da paz estará com vocês. Alegro-me grandemente no Senhor, porque finalmente vocês renovaram o seu interesse por mim. De fato, vocês já se interessavam, mas não tinham oportunidade para demonstrá-lo. Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece. (Filipenses 4:6-13, Nova Versão Internacional)

Na vida, passamos todo o tempo, desde os primeiros dias de nossa vida, cultivando as coisas ao nosso redor. Apesar do cultivo iminente, muitas vezes lançamos sementes desconhecidas ou desconhecemos o terreno. Mas o pior de tudo é que existem pessoas que nada cultivam, fazendo com que nada nasça e que não haja prosseguimento da geração anterior da “semente”.

Por que devemos cultivar? Olhemos para o campo. O arroz que comemos não nasce se alguém não plantar. O recurso disponível na Terra sem que tivéssemos que mover um dedo para produzi-lo é finito, como o petróleo, os minérios, etc. Ou seja, plantar, lançar sementes é fundamental para a subsistência, mas também para a continuidade da espécie.

O texto de Filipenses, uma carta de Paulo à igreja de Filipos, revela algo importante para os dias atuais: precisamos nos atentar ao que plantamos. Paulo fala do terreno espiritual, daquilo que alimenta a alma, daquilo que está intimamente ligado ao nosso “eu”, mas também ao nosso próximo.

Há generalizações no texto. “Tudo que é”, “coisa alguma”. Ora, o que isso quer dizer? Infelizmente, nos dias atuais, muitas denominações prendem seus adeptos à uma cadeia triste e que vai totalmente contra a Bíblia Sagrada. Existem denominações que proíbem seus membros de acessarem (lerem, ouvirem, verem) uma obra televisiva, literária, artística porque isto “é do mundo”.

Ora, mas Colossenses 1:15-17 afirma que “Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste”. Ou seja, tudo que existe foi criado por Deus. O uso destas coisas é que pode configurar ou não o declínio dos homens perante o coração de Deus.

Por exemplo, existe algum mal em ouvir junto da sua esposa uma canção cantada por Tim Maia em que sua letra há simplesmente um sentimento sincero de paixão e necessidade mútua um do outro? Ou ainda, existe algum mal em ler um livro que conta a história de uma guerra que aconteceu no Brasil? A resposta mora na pergunta que você pode fazer ao conteúdo que quer assistir, ler ou ouvir: isto é verdadeiro, nobre, correto, puro, amável, de boa fama, excelente ou digno de louvor?

Se satisfeita a pergunta, assista, leia, ouça, viva e tire bom proveito com vistas à seguinte orientação: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Coríntios 10:31). E se você for criticado sabendo estar em conformidade com a Palavra de Deus, lembre-se de que “o Deus da paz estará com vocês”, como Paulo diz aos Filipenses.

Tempo
Foto: Reprodução/Força Jovem Universal Pará

E o que isso tem a ver com o plantar, com o cultivar?

Quem planta oração, súplicas, ações de graças e louva a Deus em tempos difíceis encontra como resultado paz e conforto em Jesus Cristo. Quem planta em sua mente o que tem os atributos mencionados por Paulo tem como resultado aprendizado e conhecimento da vontade de Deus para a sua vida. Quando se planta o que se aprendeu com o que já se colheu, o Deus da Paz é com o semeador. E, por último, é sempre necessário se adaptar às condições da vida, às condições dos tempos, sem mudar a dignidade e a essência, sem distanciar-se de Deus.

Tudo que você faz hoje estará plantando para o amanhã. Pode ser você mesmo ou outrem quem irá colher. O fato é que o que é plantado, se em terreno bom, frutificará satisfatoriamente. Não importa o tempo, pois quem rega é o Criador de tudo.

Por isso, enquanto existe tempo, entregue-se à Deus. Cultive tudo e crescerá o melhor, porque “[…] “Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam”; mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus” (1 Coríntios 2:9,10).

Não se esqueça de plantar e buscar a vontade daquele que rega o terreno espiritual de nossas vidas.

*Reflexão bíblica aplicada no Grupo de Oração Universitária “Semeadores da Palavra” no IFTM Paracatu, dia 17/09/2015.

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!