Categorias
Simplifique sua vida

Simplifique sua vida na internet

Estava com saudade de escrever. Mas escrever o quê? Desta vez, seguindo o tão gostoso tema do “Sobre Esvaziar a Mochila“, série publicada em julho de 2016, vou falar sobre algo que tenho tentado fazer afim de viver mais leve, com menos atividades e mais momentos de crescimento individual e em grupo. Hoje vamos falar sobre simplificar a vida. Pra começar, onde todo mundo geralmente tem vida bagunçada: na internet.

Tem gente que é minimalista (alguém que prefere o que é simples, que não adepto do luxo, da acumulação) na vida real, mas quando chega na internet tem 20 perfis de redes sociais, cinco e-mails e vários logins aqui e ali, geralmente cada um com uma senha. É de enlouquecer isso. Em 2013, quando eu ainda usava o meu nome real e não o pseudônimo na internet, eu tinha cerca de 20 logins entre redes sociais e e-mails, alguns até repetidos porque eu havia perdido a senha. Com muito trabalho, consegui resolver todos e tirar todos da internet até a metade do ano passado. Agora, como Bruno Cidadão, todos os meus perfis são padronizados, a maioria usa o mesmo e-mail para conectar e uso apenas dois provedores de e-mail enquanto no passado cheguei a usar quatro.

Com base no que fiz e no que aprendi a fazer, trouxe algumas dicas para você. Mas faça um compromisso: ou siga todas ou não siga nada, pois é o conjunto que funciona.

  1. Esteja onde realmente você tem importância: sabe aquela rede social que você não se comunica por lá, mas fica apenas se queixando que fulano de tal tem isso, tem aquilo e você não tem? Pois é, exclua. Não mendigue atenção de usuários em redes sociais! As razões para isso são simples: a rede social virtual deve ser uma extensão da rede social real e não o contrário. Se não fizermos isso, aquela velha frase que os mais antigos gostam de falar pra gente se tornará verdade: a pessoa tem mil amigos no Facebook, mas nenhum na hora que realmente precisa.
  2. Depois que você definiu quais as redes são importantes pra você, faça o segundo crivo. Eu tenho pra ter ou tenho pra usar? Tenho 11 10 redes sociais. Todas uso. Recentemente excluí o Reddit, pois o usei eventualmente e nunca mais usei, não vendo mais importância, pois eu estava tendo “por ter” e não “pra usar”. Faça a mesma coisa com e-mails: um, dois provedores de e-mail, no máximo! Você não precisa mais que isso, afinal, todos desempenham a mesma função. E se sua justificativa é que eles estão cadastrados em vários lugares, peça alteração em cada lugar. Vale a pena!
  3. Faça senhas fortes ao invés de senhas difíceis. Uma senha forte é aquela que combina caracteres difíceis de adivinhar, que não estão explícitos no seu perfil e que possivelmente não têm explicação lógica. Te sugiro que use uma senha de seis a dez caracteres no máximo, combinando maiúsculas e minúsculas; talvez, coloque números também. Faça uma senha fácil de lembrar.
  4. Decida ter vida única na internet! Você não precisa mostrar o que faz a cada segundo do seu dia, mas também não precisa fingir ser quem não é. Ter vida única na internet é assumir que não adianta quantos perfis você tenha, nenhum deles poderá retratar 100% quem você é se você não for honesto consigo mesmo. Usar pseudônimos pode ser interessante, mas também é uma faca de dois gumes, pois pode te instigar a fingir ser quem não é. Desativar não é excluir. Decida excluir, realmente, tudo que tem que não corresponde a si ou ao que pensa. Certa vez conheci uma pessoa que tinha vários perfis e a cada “estação” da vida dela ela criava um novo nome na internet, o resultado era que eu nunca sabia com qual dos perfis falar e geralmente quando contatava essa pessoa, ela me dizia: “eu não estou usando mais esse, agora é esse aqui”. Confusão total!
  5. Se não é essencial, se exclua. Falamos muito acima de redes sociais. Mas quem mexe com sites, páginas e perfis de organizações também pode se sobrecarregar. É a página que você não quer deixar de administrar porque fez parte do grupo de pessoas que “mandavam” nela dois anos atrás, o site que você construiu apenas para um evento e que, embora ele nunca mais vai ser usado, você quer guardá-lo como recordação, e o perfil do Instagram que você já não posta mais nenhuma foto, mas o mantém por causa do número de seguidores que tem lá. Esquecemos, porém, que isto gasta tempo do nosso dia! Tempo que poderíamos aproveitar para fazer coisas em favor de nossos projetos e objetivos ou mesmo de atualizar a nossa rede social (sic). Quando tranquei minha faculdade, tinha sete páginas do Facebook sob minha administração, incluindo páginas da faculdade e de projetos que desempenhei ao longo dos anos anteriores. No final deste ano, reduzi à duas – a minha própria e a da igreja da qual sou membro.
  6. Antes de “criar conta”, se pergunte se é necessário. Até as lojas na internet estão favorecendo os consumidores, possibilitando a compra sem cadastro. Isso evita SPAM e um bocado de e-mails chatos de promoções que lotam sua caixa de entrada e que você precisa gastar tempo os excluindo. Há três anos eu simplesmente não recebo uma promoção no meu e-mail e, quando recebo no SPAM, logo peço que as ações de descadastramento sejam feitas. E-mail limpo, facilidade para encontrar o que é importante, facilidade para organizar. Desconto você vai ter, por e-mail ou não, se souber pesquisar.
  7. No e-mail, desative as notificações. É chato abrir o e-mail e ver que o Facebook, o Twitter ou Youtube mandou um texto dizendo que o fulano que você não conhece curtiu uma publicação sua. Todas as redes sociais têm configurações que permitem que você escolha o que quer que seja mandado ao seu e-mail: tudo ou nada. Escolhi nada e continuo tranquilamente vivendo com todas elas.
  8. Viva. Comente. Compartilhe. Relembre. Depois poste. Nesta ordem, as coisas ficam bem mais gostosas. Se perguntarem à meus pais ou à minha namorada ou ainda a qualquer de meus melhores amigos sobre nossos melhores momentos, aposto que não terão fotos. E se tiverem, estas não retratarão o valor que o momento teve pra nós. Tudo isso porque a intensidade do viver é bem mais interessante que do postar – e olha que sou apaixonado por fotografia!
  9. Crie uma lista de lugares onde você é cadastrado na internet. Depois que você terminar, aplique a primeira, quarta e quinta dicas nesta lista. Com certeza, vai ter muita coisa pra ser excluída. Se você quiser dicas sobre como excluir cada rede social, acesse o serviço Excluir Conta.
  10. Atualize e padronize suas redes sociais. Se você não puder ter o mesmo nome de usuário em todas, pelo menos padronize-as de forma que as pessoas possam te reconhecer – e reconhecer um fake (perfil falso criado para se passar por você). Uma forma de fazer isso é colocar a mesma imagem de perfil ou capa para todas ou adicionando uma frase única em todas.

Terminou de aplicar as dicas? Outra dica aprendi com um conferencista e teólogo chamado Fabrício Freitas. Trace uma folha de papel A4 com 7 colunas e três linhas, uma coluna pra cada dia da semana e uma linha para cada período do dia (manhã, tarde e noite). Faça um acompanhamento do que você faz durante o seu dia e vá anotando. Ao final da semana examine o seu tempo e veja o que é investido na família, nos amigos, nos momentos com gente, com amizades saudáveis e o que é investido no infinito das redes sociais ou mesmo da vida de trabalho virtual.

Talvez seja hora de repensar a rotina. E isso é assunto para o próximo post! Até lá…

Comente! Aqui é o lugar!