Categorias
Comportamento

O retrovisor do passado

Você já experimentou andar com o olhar colado no retrovisor? Se sim, provavelmente não deu nada certo. E já andou sem retrovisor? Provavelmente foi difícil para fazer balizas e até mesmo para andar no meio de tantos veículos. Não são situações típicas, mas experimente imaginar como seria. Feche os olhos. Mentalize.

O retrovisor é um equipamento essencial para a segurança e uma das peças mais importantes de um veículo. Ele nos dá a capacidade de ter uma segunda ou terceira visão sobre determinados ângulos não cobertos por nossa visão frontal enquanto dirigimos ou pilotamos. Todo veículo tem retrovisor exatamente porque é um item que potencializa a segurança no transitar. Retrovisor serve para olhar para trás sem deixar de olhar para frente.

Culturalmente, as sociedades tendem a resgatar tradições de tempos em tempos durante o ano. Carnaval, Páscoa, festas juninas, Natal, entre outras datas comemorativas que trazem consigo várias tradições – herdadas de outros povos ou criadas aqui mesmo. O fato de olhar para trás, neste caso, é positivo, pois aumenta a identidade cultural do povo. Ao invés de apenas olhar pelo retrovisor e relembrar tais tradições, há inovações nestas tradições, o que leva a crer que há uma parada e um olhar direto, pontual e crítico para o passado, mas que logo é superado.

Já na nossa vida, olhar para trás da forma com que fazemos com a Cultura pode ser perigoso, a menos que se dedique, eventualmente, a isto. Na vida, olhar pelo retrovisor é essencial, mas sem descuidar do para-brisas. A frente é o principal foco e a vida não para enquanto despistamos o olhar para o retrovisor. Nem muito nem pouco, o olhar pelo retrovisor precisa ser moderado. O passado tem influência – em sua maioria negativa – sobre nós. Sobretudo quando o passado parece ser mais verde e mais aprazível que o presente. Desespero, angústia e amargura podem nascer através de um olhar demorado pelo retrovisor.

Nos relacionamentos amorosos, olhar pelo retrovisor é necessário, mas com o mesmo cuidado que se olha pra vida em si. Não se pode demorar muito nem se esquecer do presente, do agora, do amanhã, do que vem pela frente. O retrovisor, muitas vezes, pode mostrar outras pessoas, pessoas que foram presentes no passado e que agora merecem seu lugar apenas no passado e jamais no presente. Da mesma forma, é preciso que à frente estejam desejos e soluções para problemas que no passado se manifestaram. O retrovisor pode ser, muitas vezes, romântico, mas precisa ser encarado com maturidade para ser saudável. Omiti-lo também pode ser perigoso.

E por último, lembre-se, em qualquer lugar que seja, um olhar demorado no retrovisor pode causar acidentes. Por isso, não demore e nem deixe de olhar para ele de vez em quando. Seja cauteloso. Seja moderado. E avance, pois “a vida é aquilo que acontece enquanto você está planejando o futuro“, disse John Lennon.

E sempre cabe a música “Ninguém vai saber”, da Banda Resgate.

Comente! Aqui é o lugar!