Categorias
Cultura

Sobre o dia em que assisti ao show do Tiago Iorc

Eu já escrevi sobre o meu cantor preferido aqui. Eu já fiz muitas reflexões que levaram em consideração letras e inspirações musicais de Tiago Iorc, cantor brasileiro que despontou Brasil afora depois da música “Amei te ver”, com clipe estrelado por ele e Bruna Marquezine.

Mas assim como a música, Tiago Iorc é mais que um clipe com uma atriz global. Iorc consegue traduzir em palavras leves e ao mesmo tempo muito bem estruturadas (tornando sua leitura complexa) o sentimento geral de uma tribo, a dos que enxergam a vida de modo mais filosófico sem deixar a realidade nua e crua de lado.

Há mais de três anos eu havia me proposto a assistir à apresentação do cantor em Belo Horizonte. Acabei cancelando a participação por razões relevantes para aquele momento. Deixando meu coração partido, pouco mais de dois anos depois ele deu início a um período sabático, aonde passou vários meses sem nenhuma postagem em rede social, sem nenhuma aparição pública.

Até que ressurgiu em 2019 com o álbum “Reconstrução”. Naquela noite, eu ouvi todo o álbum e falei: se tiver show, eu vou. Era uma decisão. O sonho estava vivo ainda.

Mas bastou pensar mais um pouco para perceber que não seria barato o show. Logo veio em mente o planejamento e a confiança de que daria certo. E deu. Aproveitei uma estadia a título de treinamento em Belo Horizonte-MG para assistir ao show do Tiago Iorc.

Era noite de 23 de novembro, sábado, quando ele abriu o show com a música Desconstrução. Começava ali a realização de um sonho. Ainda não dá pra falar muito porque ainda estou processando as lágrimas que as músicas me fizeram derramar, os sorrisos arrancados, os gritos e o acompanhamento desafinado, mas apaixonado, de praticamente todas as canções. Tiago Iorc é sensacional. Suas letras são maravilhosas e não dá para escrever muito.

Mas dá para mostrar, num vídeo que considero excelente para mostrar meu despojo e entusiasmo no show. O vídeo, em formato vertical, é da também fã do cantor, Agda Andrade, cujo eu encontrei na fila do show e pudemos desfrutar de um momento muito bacana e singular ao longo do espetáculo. Esse vídeo eterniza um pouco do que sou nos momentos mais existencialistas e libertários, em geral, quando faço ou aprecio algo que amo.

Bom, agora que a vida voltou ao normal, posso contar no futuro aos meus netos que fui no show do meu cantor favorito. Sem precisar de nenhuma embriaguez além da emoção, me diverti mais do que no conjunto total de espetáculos musicais que já fui em toda a vida.

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!