Categorias
Comportamento

Porque eu amo as segundas-feiras

Eu estou aqui, numa segunda-feira, escrevendo este texto. E não foi porque acordei inspirado. É porque transpira em mim uma multidão de sentimentos que precisam ser exprimidos, caso contrário, eu não chego no fim do dia vivo.

Se você trabalhar comigo, vai perceber que o dia mais radiante ou mais triste em que chego é a segunda-feira. A segunda-feira, pra mim, é sempre marcante. Ela é expressão do “eu” que construí ao longo dos anos. Ela é um sinônimo de intensidade, de vibração ou de completa desolação e desânimo. Ela é sinônimo de extremos.

Esse dia que marca o início da semana útil também é relevante porque eu gosto de começos, inclusive os pequenos começos, eu vibro com pequenas conquistas e acho que isso acaba sendo mal interpretado muitas vezes. Às vezes pedalar mais veloz do que antes é uma conquista – mas é uma conquista pra mim, não tem a mesma dimensão de importância para os outros. Às vezes fazer uma viagem para um lugar aonde nunca fui também é muito relevante, mas para qualquer outro que veja eu comemorando isso, é puro exagero.

As segundas-feiras acabam exprimindo o que tenho de melhor e de pior. Meu ritmo de trabalho frenético, meu desejo de fazer acontecer ou meu modo desanimado com a vida, meu desejo de que tudo se exploda porque meu coração foi partido ou porque está tudo dando errado na minha vida. Antigamente, eu gostava de ir na terapia às sextas-feiras porque era o meu pior dia da semana. Agora, vario sempre que dá porque não tem mais essa coisa de destinar um dia pra ser o pior. Pode ser uma segunda, inclusive.

Eu estou aqui, numa segunda-feira, escrevendo este texto. E não foi porque acordei inspirado. É porque transpira em mim uma multidão de sentimentos que precisam ser exprimidos, caso contrário, eu não chego no fim do dia vivo. Como eu disse a alguém recentemente: “é preciso viver as emoções, já reprimi demais”.

É preciso viver a dor de uma segunda-feira com o coração partido, o bolso vazio, boletos vencendo e a perspectiva bem baixa. Mas também preciso viver a alegria de uma segunda-feira com o coração cheio, salário na mão, boletos em dia e notícias boas chegando. Cada dia é um dia. Cada semana é uma semana.

Eu não sei se você tem um único dia que te faz aflorar tudo que tem de melhor ou de pior. Mas se for a segunda-feira, compartilha esse texto no seu feed.

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!