Categorias
Comportamento

Mergulhadores da própria existência

Não há outro caminho, senão nós mesmos, cingidos de boa quantidade de oxigênio, mergulharmos no mar desconhecido que é o nosso coração, a nossa mente. Todos os dias. Indistintamente.

Eu não sou bom em nadar, mas esses dias enquanto conversava com uma pessoa, fiz uma analogia ao mergulho como forma de provocar um pensamento sobre a nossa necessidade diária de mergulharmos na nossa própria existência e nos conhecermos.

Essa pessoa em questão passa pela fase do turbilhão, aquela fase entre o fim da adolescência e o início da vida adulta, onde boa parte de nossas escolhas vão desembocar em longas consequências: nossa carreira, nossa faculdade, nossos rumos geográficos, a constituição de nossa família, entre outras tantas decisões necessárias.

No meio desta fase, precisamos, com mais profundidade, com mais gás nas costas, aproveitar de nosso bom condicionamento físico e mergulhar mais fundo. Encontrar traumas, tratá-los e seguir com leveza. Encontrar vocações, testá-las e avançar com certeza. Encontrar também gostos bons e ruins, prová-los e seguir com os que lhe convier.

Esta fase é como um mar que começou a ser mergulhado. Guarda surpresas em suas profundezas. Belezas no caminho. E prática, muita prática, no processo. Não há outro caminho, senão nós mesmos, cingidos de boa quantidade de oxigênio, mergulharmos no mar desconhecido que é o nosso coração, a nossa mente. Todos os dias. Indistintamente.

Todo o desconhecido é bem-vindo e preconceitos não são razoáveis. Não há como conhecer o novo com medo, por isso é preciso abandonar todo conceito prévio existente e desenvolver uma relação honesta com o mundo: se não conheço, não tenho como exprimir opinião sobre ser bom ou ruim. Experimentar é o que garante autoridade pessoal para falar sobre o item, situação ou experiência provada.

Em resumo, somos os mergulhadores da nossa própria existência, esse mar revolto, inconstante, repleto de surpresas e novidades que, embora sejam similares às de outrem, são só suas. E cabe apenas à você descobrir-se. Com ou sem ajuda. Descubra-se. Mergulhe.

***

Foto de Capa: Pixabay/Reprodução

Comente! Aqui é o lugar!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.