Categorias
Factuais Política

O covid-19 no Noroeste de Minas: alta de 16,1% nas mortes em uma semana

São 23.166 casos confirmados e 446 mortes nas 18 cidades do Noroeste de Minas Gerais. Letalidade chega a 4,8% em Dom Bosco. Vacinação média de 1,93% da população.

Durante uma situação de crise sanitária mundial como a atual, todos os países vivem uma série de complicações em seus sistemas de saúde. Apesar de ter o maior e mais bem-sucedido programa de imunização do mundo, o Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro está colapsado e a vacinação que começou tardiamente colocou o país na 60ª posição mundial em termos de vacinação população (mais de 14 milhões de pessoas tomaram a primeira dose da vacina, porém apenas 1,97% da população recebeu a segunda dose da vacina contra o covid-19). Um relatório recente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que avaliou a ocupação dos leitos de UTI no Brasil, identificou que 25 unidades da federação estavam em estado crítico e duas em situação mediana.

Entretanto, como é a situação do Noroeste de Minas Gerais? Quantas vidas foram ceifadas pela covid-19 na região? Quantos casos confirmados? Qual é a situação das UTIs e sua lotação? Como anda a vacinação na terra campeã da agricultura nacional?

Para responder essas perguntas, foi realizada uma apuração em 19/03 e atualizada em 26/03. Se você quiser conhecer a primeira apuração, basta clicar aqui.

Sobre os dados apurados e interpretados

Antes de ler uma matéria como esta, orientada a dados, é importante que o leitor tome conhecimento de como foram obtidos os dados e como se procedeu a sua interpretação.

Portanto, os dados foram obtidos a partir dos boletins epidemiológicos disponibilizados pelas prefeituras e secretarias de saúde dos municípios. Na falta destes, buscou-se a identificação dos dados a partir do portal estadual de dados sobre a covid-19 no Estado e ainda, comparado com os dados do Portal Localiza SUS do governo federal. Para os fins desta matéria, foi considerada a divisão por Regiões de Planejamento adotada pelo governo do Estado de Minas Gerais.

Optou-se por considerar apenas a imunização em duas doses devido a não haver estudos revisados por pares que garantam a eficácia de qualquer vacina contra o covid-19 aprovada para uso no Brasil com a ministração de apenas uma dose. Optou-se também por considerar apenas os casos e óbitos confirmados, não sendo contados para fins desta apuração aqueles que estão em investigação, favorecendo assim números mais efetivos, apesar da baixa testagem no Brasil ser considerada fator de subnotificação dos casos.

Não se considerou durante a apuração quaisquer análises sobre o estado atual das cidades, por exemplo, se estão com medidas de restrição, fechamento de comércio não-essencial, etc. É importante, no entanto, considerar que as cidades estão na Onda Roxa do Plano Minas Consciente desde 03 de março de 2021 e, conforme o protocolo, devem manter as atividades não-essenciais fechadas, instalar barreiras sanitárias, intensificar a fiscalização e promover mudanças em seu sistema de saúde para garantir a disponibilidade de mais leitos de UTI.

Unaí: alta assustadora de casos e mortes, hospital de campanha desafoga sistema de saúde

Em 19 de março, Unaí tinha 6.909 casos confirmados e 100 mortes por coronavírus. Em 26 de março, o número subiu para 7.584 casos confirmados e 124 mortes, um aumento de 9,8% no número de casos e de 24% no número de mortes. Em apenas uma semana morreu quase um quarto do total de pessoas que morreram desde o início da pandemia. Entre os mortos está o vice-prefeito municipal, Waldir Pinto Novais, que faleceu na tarde de 26/03 e havia perdido sua esposa, também vítima do covid-19, na semana anterior. A letalidade do município subiu de 1,45% em 19/03 para 1,64% em 26/03.

O sistema de saúde unaiense atende a demanda da própria cidade e de mais 11 municípios da região. Com o aumento no número de casos, foi instalado um hospital de campanha montado pela Polícia Militar para atender a casos de baixa complexidade e desafogar as UTIs do Hospital Municipal. Em 19/03, quando o hospital de campanha ainda não estava em operação, a ocupação dos leitos eram de 82,5% no hospital público e de 80% no hospital privado. Em 26/03, mesmo com 40 novos leitos do hospital de campanha, a ocupação dos leitos públicos teve apenas uma leve baixa indicando 76,1% de ocupação enquanto o hospital privado subiu para 100% de ocupação.

Unaí não informa em seu boletim de vacinas o número de vacinas por tipo de dose e foi considerado no levantamento de 19/03 o número total informado pela Prefeitura. Agora, em 26/03, foram obtidos os dados da aplicação das doses no Localiza SUS, portal do governo federal, e portanto, a taxa de vacinação em segunda dose foi atualizada de 3,2% para 2%.

Paracatu: vacinação baixa, letalidade abaixo da média

Assim como Unaí e João Pinheiro, Paracatu também dispõe de UTIs para internação. Entretanto, de acordo com o último boletim da Prefeitura, existem 3 pessoas internadas no pronto socorro municipal em vagas não destinadas à covid-19. Considerando essa ocupação de leitos, o município acumula 104,7% de ocupação de leitos no hospital público e 60% de ocupação no hospital privado. Em 19/03 era 106,4% e 40%, respectivamente.

Paracatu, em 19/03, havia registrado 5.330 casos e 81 mortes por coronavírus. A letalidade estava em 1,5%. O cenário mudou em 26/03: Paracatu registrou 5.702 casos e 92 mortes, impactando a taxa de letalidade para 1,6%, ainda assim abaixo da média regional. Mais uma vez, a disponibilidade das UTIs impacta na letalidade dos casos: das cinco cidades da região que apresentam letalidade menor que a média da região, três têm sistema de saúde que possuem disponibilidade de leitos de UTI.

Paracatu já vacinou 1.512 pessoas com a segunda dose do imunizante contra o coronavírus. No ranking das que mais imunizaram em duas doses em relação à quantidade de habitantes, Paracatu figura na antepenúltima posição da região com 1,6% da população imunizada. É importante considerar que Paracatu tem o maior número de habitantes da região: 93.862 moradores conforme os dados do IBGE.

João Pinheiro: leitos cheios, menor letalidade da região e vacinação lenta

A terceira maior cidade da região em número de habitantes acumula o índice de letalidade mais baixo pela covid-19. Em 26/03 foram 2.866 casos confirmados e 36 mortes por coronavírus. Em 19/03, o número era de 2.422 casos e 31 óbitos. A letalidade, que era de 1,3% em 19/03 se manteve no mesmo patamar.

A cidade conta com leitos de UTI públicos, porém de acordo com os dados do Portal de Acompanhamento do Coronavírus mantido pelo governo do Estado de Minas Gerais, 90% estão ocupados. A ocupação era de 100% em 19/03. A cidade perdeu quatro posições no ranking de imunização da região e em 26/03 contabiliza 2,2% da população imunizada.

Dom Bosco: alta letalidade e número de vacinados com a segunda dose atualizado

A pequena cidade de Dom Bosco, com 3.655 habitantes, amarga o pior índice de letalidade do coronavírus na região: 4,8% dos casos confirmados de coronavírus evoluíram para morte. Em 18/03, a letalidade apurada era de 5,2%. Agora, até 25/03 o município registrou 167 casos confirmados e oito óbitos. O sistema de saúde do município não possui leitos para internação por covid-19 e todos são encaminhados para Unaí, quando necessário.

Quanto à vacinação, na apuração de 19/03, não havia informação de segundas doses ministradas no município. Em 26/03, 122 pessoas haviam sido completamente imunizadas, representando 3,3% da população.

Varjão de Minas e Vazante: índice alto de infecção, vacinação acima da média

As cidades de Varjão de Minas e Vazante têm, respectivamente, 13,4% e 11% de sua população confirmada com o coronavírus. Em 19/03, esse número era de 10,8 e 10,9%. É o que mostram os dados dos boletins epidemiológicos das cidades. A letalidade de Varjão de Minas é de 2,5%, acima da média de 1,9% da região. Já em Vazante, a letalidade fica em 2,4%, também acima da média regional. As cidades não possuem leitos de UTI e os pacientes que necessitam de internação são transferidos para João Pinheiro ou Paracatu.

Apesar das cidades amargarem números de infectados acima de 10% do contingente populacional, a vacinação das cidades segue acima da média regional: Varjão de Minas imunizou com duas doses 132 pessoas, um total de 4% de sua população, enquanto que Vazante imunizou 2,9% da sua população com as duas doses da vacina contra o coronavírus.

Ranking da Imunização em Duas Doses

Considerando que as duas vacinas aprovadas pela Anvisa para uso no Brasil são ministradas em duas doses, fica assim o ranking da imunização no Noroeste de Minas: Bonfinópolis, Varjão e Dom Bosco lideram enquanto Paracatu, Buritis e Formoso têm os menores índices. Em 19/03, o Noroeste de Minas havia imunizado, com o dado corrigido referente a Unaí, 6.171 pessoas em segunda dose. Em 26/03, esse número subiu para 7.470 pessoas, um aumento de 21% em relação ao total anterior. A média de vacinação na região é de 1,93%. A tabela com os dados de toda a região pode ser conferida abaixo.

CIDADEPOPULAÇÃO ESTIMADA IBGE (2020)EM HABITANTESIMUNIZADOS 2ª DOSEEM PESSOASDATA POSIÇÃO% IMUNIZADOS RELAÇÃO À POPULAÇÃO
Bonfinópolis de Minas544423226/03/214,26%
Varjão de Minas326013226/03/214,05%
Dom Bosco365512226/03/213,34%
Vazante2064259626/03/212,89%
Lagamar760020126/03/212,64%
Uruana de Minas32608626/03/212,64%
Guarda-Mor656917026/03/212,59%
Natalândia33087925/03/212,39%
João Pinheiro47726106826/03/212,24%
Cabeceira Grande698814926/03/212,13%
São Gonçalo do Abaeté845916724/03/211,97%
Unaí84930167526/03/211,97%
Presidente Olegário1962737126/03/211,89%
Arinos1786233126/03/211,85%
Lagoa Grande960816326/03/211,70%
Paracatu93862151226/03/211,61%
Buritis2501331426/03/211,26%
Formoso968810225/03/211,05%
Dados obtidos pela reportagem com base em dados das secretarias municipais, da secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e do Ministério da Saúde em 26/03/2021

Ranking da Letalidade

Considerando os números obtidos na apuração feita pela reportagem com base nos boletins epidemiológicos das cidades da região Noroeste de Minas, a letalidade média do coronavírus na região subiu de 1,8% em 19/03 para 1,93% em 26/03. Dom Bosco, Arinos e Presidente Olegário amargam os piores índices, duas vezes maiores que a média regional. Paracatu, Cabeceira Grande e João Pinheiro, por sua vez, têm a menor letalidade registrada na região. Em 19/03, o Noroeste de Minas havia registrado 21.239 casos confirmados por coronavírus e 384 mortes. Em 26/03, são 23.166 casos (aumento de 9%) e 446 mortes (aumento de 16,1%). Os dados de todas as cidades da região podem ser conferidos na tabela abaixo.

CIDADEDATA POSIÇÃOCASOS CONFIRMADOSÓBITOS% DE LETALIDADE (QTDE ÓBITOS/CASOS)
Dom Bosco25/03/2116784,79%
Arinos25/03/21294124,08%
Presidente Olegário26/03/21642264,05%
Formoso25/03/2119173,66%
Bonfinópolis de Minas25/03/21296103,38%
Lagoa Grande26/03/21649203,08%
São Gonçalo do Abaeté25/03/2122162,71%
Uruana de Minas26/03/217722,60%
Varjão de Minas26/03/21438112,51%
Vazante26/03/212265552,43%
Guarda-Mor25/03/2130372,31%
Lagamar26/03/2130572,30%
Buritis26/03/21914192,08%
Natalândia25/03/215411,85%
Unaí26/03/2175841241,64%
Paracatu26/03/215702921,61%
Cabeceira Grande26/03/2119831,52%
João Pinheiro26/03/212866361,26%
TOTAL DE CASOS, ÓBITOS E TAXA DE LETALIDADE23166
CASOS CONFIRMADOS
446
MORTES
1,93%
LETALIDADE MÉDIA
Dados obtidos pela reportagem com base em dados das secretarias municipais, da secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e do Ministério da Saúde em 26/03/2021

Levantamento completo

O levantamento completo desta matéria está disponível em uma planilha que pode ser baixada e acessada abaixo. Se você identificou algum dado incorreto ou inconsistente, encontrará no documento como informar a correção necessária.

***

Foto de capa: Pixabay/Reprodução

Comente! Aqui é o lugar!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.