Categorias
Comportamento

Insistir sempre, forçar jamais

Se precisa forçar, não te cabe. De mãos soltas fica mais fácil viver sem surtar.

Enquanto eu respirar e tiver força, insistir não me será um problema. Dito isso, explico que insistir é tentar mais de uma vez. Ou tentar uma única vez quando a chance é única.

Mas eu me recuso a forçar. Desde a porta não aberta até o sentimento não correspondido, forçar não é meu forte. Aliás, sou fraco quando o assunto é força. Tanto física quanto emocional. Haja vista, admiro tanto quem se supera nas Olimpíadas, quem reage bem a um luto ou quem encontra forças na dificuldade.

Insistir faz bem. Quem não insiste, na verdade, assume para si uma de duas dessas posições: ou acha que o mundo precisa girar em torno de si ou acha que “não aconteceu porque não era pra acontecer” e assim, de justificativa em justificativa, vai perdendo a vida. Insistir é dar fôlego novo à alma, é exercitar a fé e, sobretudo, a esperança.

Não hesite em esclarecer pra si mesmo os fatos. Tentar não é se autoenganar. Vejamos um exemplo prático na seara romântica: se gosto de alguém e esse alguém não me corresponde, preciso estar ciente dos riscos de tentar. E portanto, ao tentar várias vezes, assumir os riscos de tal obstinação. Quando essas tentativas passam daquilo que é aceitável, passível e humanamente suportável, é hora de dar tchau.

Conversando esses dias com um colega de trabalho que compartilha de mesma emotividade, nos lançamos a falar sobre a urgência do amar. Nós fazemos “cu doce” demais. A gente fica querendo evitar de demonstrar, de rir, de sentir, de viver. E depois cai numa terrível depressão por tudo aquilo que poderia ter sido, mas não foi porque somos ignorantes e, principalmente, orgulhosos e egocêntricos demais.

Quem já perdeu um grande amor, seja para a morte ou, pior, para a vida, sabe do que estou falando. É triste. É revoltante. Por isso eu insisto que insistir é, muito além da melhor opção, talvez seja a única que nos permita viver uma vida autêntica.

Forçar, porém, nunca. Se for preciso forçar, desista. Sua tomada de decisão neste sentido irá lhe evitar culpa, dor e sofrimento. Se precisa forçar, não te cabe. Se precisa insistir, pode te caber. Mas num mundo ideal, que a gente fique com tudo aquilo que nos é apresentado sem insistência. De mãos soltas fica mais fácil viver sem surtar.

Por Bruno Cidadão

Comunicador | Pesquisador | Checador

Comente! Aqui é o lugar!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.