Categorias
Candangão 2022 Esporte

Em jogo longo, Santa Maria leva a melhor contra o Unaí

A partida terminou em 2 a 1 para o Santa Maria. Unaí Esporte, em casa, mostrou domínio no jogo, mas sem conseguir virar a partida.

Mais de cem minutos, contados os acréscimos, foi a marca do jogo entre Unaí Esporte Clube e Sociedade Esportiva Santa Maria neste domingo (23/01) no Estádio Urbano Adjuto em Unaí-MG pelo Campeonato Brasiliense de Futebol da Primeira Divisão.

Foram quatro minutos de acréscimo no primeiro tempo e sete no segundo. Somado ao tempo regulamentar, foram cento e um minutos de partida. O acréscimo não foi à toa: faltas, contusões e discussões entre jogadores e até uma pequena confusão entre o quarto árbitro Marco Paulo Faria de Moura e o técnico do Santa Maria Erivaldo Silva, justificaram os acréscimos.

O jogo começou com a equipe da casa mostrando sede de gol. Akin e Matheus Falero foram os jogadores de destaque da primeira etapa. Mas foi após o tempo técnico (pausa para hidratação) aos trinta minutos do primeiro tempo que a equipe visitante resolveu mostrar a que veio.

Whattimen, camisa nove do Santa Maria, foi quem cobrou o pênalti e converteu. Não deu tempo de comemorar o gol: após roubada de bola logo na saída de bola após o gol, o Santa Maria marcou de novo. Desta vez, Whattimen colocou na gaveta e deixou no chão o goleiro Eder. Com o placar de 2 a 0 aos 37 minutos do primeiro tempo, o Santa Maria ganhou fôlego enquanto o Unaí Esporte se desesperou.

No retorno do segundo tempo, o técnico do Unaí Esporte mexeu. Guiba fez uma alteração que ditaria os próximos 30 minutos de jogo do Unaí: tirou Rezende e colocou Brendon. No terceiro minuto do segundo tempo, Brendon marca de pênalti reduzindo a vantagem do Santa Maria e incendiando a torcida do Unaí que havia chegado a vaiar o clube no fim do primeiro tempo.

Com a torcida animada, o time tentou avançar sobre o campo do Santa Maria. Petróleo e Diogo Peixoto se destacaram ao tentar o gol de empate do Unaí. Foram vários chutes, mas aos poucos o Santa Maria foi conseguindo segurar o placar. De falta em falta, com um outro jogador caído, o jogo chegou a parar três vezes num período de dez minutos para que jogadores fossem atendidos no campo.

As substituições começaram e não pararam mais. As duas equipes substituíram vários jogadores. Mas o Unaí, que foi ficando sem tempo, explorou logo duas peças promissoras para a campanha do clube: João de Deus e Pedrinho. Os jogadores tentaram arriscar e dar velocidade ao time, mas o Santa Maria segurou a vantagem até o fim.

No final, em sufoco, o Santa Maria se viu ainda mais pressionado quando a placa do quarto árbitro anunciava seis minutos de acréscimo. A orientação do treinador era conseguir manter o time do Unaí acuado com ataques fortes. Mas o Unaí se beneficiou de contra-ataques. Tentou uma, duas, três, várias vezes. Faltando trinta segundos pra acabar, o jogo estava parado devido a uma falta. Subiu a placa com mais um minuto de acréscimo. Erivaldo Silva fez xingamentos ao árbitro e foi punido com cartão amarelo.

Ainda no fim da partida, um torcedor do Unaí Esporte chegou próximo ao banco de reservas da equipe visitante e proferiu xingamentos à comissão técnica do clube. O mesmo torcedor, protegido pela grade que separava arquibancada e campo, minutos depois, fez xingamentos à Federação Brasiliense de Futebol. Sem maiores complicações, o juiz encerrou a partida e o Unaí entrou no vestiário ao som de aplausos, mesmo com a derrota. A equipe do Santa Maria se reuniu no gramado e alguns jogadores fizeram suas considerações sobre o jogo.

Torcida

Embora exista um decreto municipal em vigor permitindo somente 500 torcedores no estádio, em aferição visual o número foi maior do que o previsto. O número de bilhetes emitidos não foi informado pelo clube nem pela equipe de bilhetagem à reportagem.

Aos torcedores só foi exigido o ingresso e o uso de máscara na entrada. Esperava-se a cobrança do cartão de vacinação, prevista em outro decreto municipal conforme noticiado aqui. Na arquibancada, apesar da orientação dada pela equipe de bilhetagem, era comum ver dezenas de pessoas sem máscara e aglomeradas. A demarcação do distanciamento havia sido realizada, mas não foi respeitada pelos torcedores.

Imprensa

A abertura do Candangão 2022, como é carinhosamente chamado o campeonato, deixou à vista também a importância da organização dos profissionais de imprensa e da própria organização do campeonato. Com as medidas de contenção do coronavírus, uma movimentação da Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos (ABCD) conseguiu autorização para que a cobertura pudesse continuar acontecendo de dentro do campo.

A ABCD publicou ainda um protocolo de atuação dos profissionais de imprensa, que funcionou graças ao trabalho conjunto entre o supervisor da partida e os representantes da Federação de Futebol do Distrito Federal.

Comente! Aqui é o lugar!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: