Categorias
Comportamento

À beira do colapso, qualquer queda é precipício

São linhas tênues, mas com o tempo a gente aprende.

Há quem viva no limite de suas emoções, de suas ansiedades, de sua paciência. Há quem seja uma verdadeira bomba-relógio que de tempos em tempos precisa ser desarmada. Há quem consiga transparecer paz enquanto um turbilhão de pensamentos lhe consome. Há quem esteja à beira de um colapso nervoso. E você nem percebeu que essa pessoa pode estar ao seu lado.

Por várias vezes, vemos as pessoas falando após alguém ter um surto psicótico: “mas fulano era tão tranquilo, o que será que deu nele?”. Ou então dizendo: “mas nossa, por uma coisinha dessa a pessoa surtou?”. São pensamentos distantes da realidade. Quem vive e convive com pessoas que têm depressão ou bipolaridade ou ainda borderline sabe que a coisa é bem mais profunda.

Ninguém surta do nada. Mas realmente as coisas adquirem uma proporção maior do que a que realmente teriam para outras pessoas. Qualquer queda vira um precipício quando se está à beira de um colapso. A voz embarga, a tentativa de retomar o controle acontece reduzindo a velocidade da fala, mas basta um pedacinho de estresse e tudo vai ladeira abaixo. As lágrimas rolam, os gritos acontecem, a vida desanda de novo.

À beira de um colapso, uma frase, um gesto, uma dúvida, tudo podem trazer à tona uma queda e nesta queda, a profundidade ser de um precipício. Por isso, sempre que lidamos com ansiosos e transtornados precisamos tomar precauções como jamais deixar um assunto aberto quando ele pode ser fechado, não provocar alterações de humor sem motivo, evitar palavras com dupla interpretação, buscar saber o que o outro disse (confirmando a interpretação se está correta). Tudo ajuda a evitar os precipícios.

Quando o precipício é inevitável, resta buscar esta pessoa pro convívio comum. Mas com calma. Respeitando o tempo dela, de forma que ela não se sinta abandonada e nem cobrada. São linhas tênues, mas com o tempo a gente aprende. Afinal, a gente está na vida pra isso.

*** Foto de capa: Pixabay/Reprodução

Comente! Aqui é o lugar!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: